Little Joy: Saudosismo acústico em obra ímpar

Projeto paralelo de membros de Los Hermanos e The Strokes ainda é lembrado com carinho

Little Joy: Saudosismo acústico em obra ímpar

Em 2007, nascia um projeto que tinha tudo pra dar certo, principalmente levando em conta a juventude brasileira: A trinca Little Joy. Apesar de a nomeclatura humilde trazer uma alegria diminuta, a união de dois ídolos da época foi como um colapso musical que só viria a fazer bem. Foi com a pausa indefinida do Los Hermanos em 2006 e um The Strokes pré-Angles e que trazia alguns conflitos internos que brotou um belíssimo ponto de calmaria, reflexão e beleza com a união dos músicos Rodrigo Amarante, o baterista Fabrizio Moretti, que agora assumia novo posto nas cordas, e os doces vocais da agregada Binki Shapiro, que na época era namorada de Fabrizio e trouxe o charme feminino.

Uma série de encontros gerou a construção do primeiro e único disco autointiulado do trio, que foi lançado no ano seguinte, 2008. O trabalho soa mesmo como uma válvula de escape para cada um dos músicos, conseguindo transportar esse sentimento para o público que se deparava com suas composições em tom de pisada no freio: A década de 2000, que ainda fervilhava pelo Indie Rock recheado de bandas com moleques que brincavam com a despretensão e a sujeira é sutilmente banhada por uma viagem de férias a beira mar em forma de canções.

Entre o Folk acústico e um Rock bem apessoado pra apresentar à família, se descorrem as onze rápidas faixas, que em sua maioria não chegam sequer aos três minutos de extensão. Os pouco mais de 30 minutos de álbum te transportam para aquele seu recesso dos sonhos no litoral, destrinchados em diferentes climas, que vão desde baladas animadas como Brand New Start, Keep Me In Mind, The Next Time Around e How To Hang A Warhol, até músicas dedilhadas ao violão e plenamente sensíveis, tais quais With Strangers e Evaporar, além de Unattainable, Shoulder To Shoulder e Play The Part, que ficam entre o intimista e o sensual sem forçar a barra.

O saudosismo que sempre foi onipresente desde o surgimento da banda estabelece uma conexão de familiaridade com os adeptos do som de maneira quase que inexplicável, muito mais próxima do campo dos sentidos e menos do racional. A obra ímpar deixa dúvida e anseio sobre um possível retorno do projeto, já que Moretti e Binki não estão mais juntos e agora Amarante trilha finalmente sua carreira própria com seu primeiro disco solo.

Artista: Little Joy

Marcadores: Fora de Época